Você sabe identificar uma VERRUGA?

Dermatite das fraldas: o primeiro incômodo na saúde da pele dos bebês
15 de fevereiro de 2019
Você conhece o Câncer de Pele?
15 de fevereiro de 2019
Exibir tudo

Você sabe identificar uma VERRUGA?

Todo mundo já teve uma verruga na vida. Uns trataram, outros ainda acham que tem uma pinta, outros se desesperam, mas afinal, o que são as verrugas?

Verrugas são proliferações benignas na pele causadas pelo papilomavírus humano (HPV). Sim, você leu corretamente, o conhecido e temido HPV.

As verrugas acometem as camadas superficiais da pele e caracterizam-se pelo crescimento anômalo de células da epiderme.

A transmissão do vírus causador ocorre pelo contato com pessoas ou objetos infectados pelo HPV. Basta uma pequena lesão na pele para que ocorra a transmissão do HPV. Além do contato, existe, também, a transmissão pelo contato sexual e pela via materno fetal.

Como ocorre em muitas doenças virais, a baixa imunidade favorece o aparecimento da verruga.

De acordo com os livros de prática médica, a maior incidência da doença é verificada em adolescentes, entre 12 e 16 anos. Mas, na prática, isto não acontece. Há bebês, crianças, adultos e idosos com múltiplas lesões o tempo todo, no dia-a-dia do consultório médico do dermatologista.

Após o contato com o vírus as lesões podem demorar semanas a meses aparecerem.  É muito comum, por exemplo, que o paciente chegue ao consultório com 2 ou 3 verrugas, façamos o procedimento médico adequado para eliminá-las e dias depois retorne alegando que as verrugas voltaram ou que o procedimento foi inadequado. Em verdade, o vírus continua presente e existe a possibilidade dele se manifestar novamente em outros locais ou nos mesmos locais anteriores.

Os sintomas

Dependendo do local acometido a verruga pode variar o seu aspecto. Na maior parte, as verrugas aparecem sem qualquer outro sintoma. Ocasionalmente, pode ocorrer sangramento ou dor.

Existem variados tipos, porém, de verrugas:

Verruga vulgar: é o tipo mais comum. Geralmente caracteriza-se por uma pápula irregular, endurecida e áspera. As lesões podem ser única ou agrupadas e são frequentemente encontradas em áreas sujeitas a maior trauma.

Verruga filiforme: apresentam-se de forma fina e alongadas, em geral isolada ou pouco numerosas. Mais comum na face, pescoço, pálpebras e lábios, com incidência maior em pessoas mais velhas.

Verrugas planas: caracterizam-se por serem lesões papulosas e pequenas (bolinhas), de coloração acastanhada e de, no máximo, 5 mm de diâmetro. A principal característica é uma superfície plana. Com maior frequência na face e dorso das mãos dos adolescentes.

Verruga plantar: como o nome já diz, trata-se de verruga localizada na planta dos pés, razão pela qual é confundida, muitas vezes, com os calos. Esta lesão é a que mais provoca dor, pois o peso e a pressão que o corpo exerce sobre ela obriga seu crescimento para dentro da planta do pé. Esta verruga possui pequenos pontos escuros no centro da lesão, o que lembra um “olho de peixe”, sendo este seu nome popular.

Verrugas anogenitais: apresentam-se como lesões vegetantes, úmidas, isoladas e/ou agrupadas (condiloma acuminado). Podem acometer a mucosa genital feminina e masculina, uretra, vagina, colo do útero, região perianal ou mucosa oral. Existem diferentes subtipos virais envolvidos na infecção genital, estando bem estabelecida a relação entre a infecção genital por alguns subtipos de HPV considerados de alto risco e o câncer genital, principalmente o do colo uterino.

Os Tratamentos

As verrugas podem desaparecer naturalmente, em meses, ou persistir por anos.

Nas crianças, geralmente, não há necessidade de medicação, entretanto, como existe o risco do vírus disseminar para outras pessoas e o surgimento de mais  lesões no próprio indivíduo pela autocontaminação, o tratamento é indicado.

Nos adultos, as verrugas raramente desaparecem sem tratamento. Há diferentes terapêuticas que levam à eliminação ou à remoção das lesões. Pode ser recomendado tanto o uso de medicamento tópico, quanto a realização de procedimento cirúrgico. Para cada tipo de verruga um ou mais tratamento são indicados. Somente o médico dermatologista é capaz de avaliar e indicar o melhor tratamento.

Um alerta! Muito cuidado com medicamentos vendidos livremente em farmácias que prometem acabam com verrugas. Vou expor apenas dois motivos, dentre muitos, para procurar um médico e não o remédio da propaganda. Primeiro, o que você acha que é verruga pode não ser. Pode ser uma pinta, por exemplo, e, ao usar o produto inadequado, você poderá feri-la e contribuir para uma transformação celular indesejada. Segundo, você pode não conhecer o tipo de verruga e ao aplicar o produto famoso o resultado não será obtido, podendo ganhar queimaduras e lesões que precisarão de acompanhamento médico.

As verrugas anogenitais, por sua vez, apresentam maior complexidade de tratamento, havendo  maior  necessidade de procedimentos combinados para  retirada das lesões. Com o  risco de provocar câncer, esse tipo de verruga requer muita atenção.

A Prevenção

Prevenir o aparecimento de verrugas na pele é tarefa impossível. Não há como identificar previamente quem está acometido pelo vírus e no que esta pessoa tocou.

O que existe, até o momento, é uma vacina preventiva para evitar que o HPV evolua para um câncer genital, nos casos de infecções genitais. Trata-se de vacina cuja eficácia é maior se aplicada antes do início da vida sexual, indicada a partir dos 9 anos nas meninas e a partir de 12 anos nos meninos.

Dr. Rogerio Angelucci
Dr. Rogerio Angelucci
Dermatologista - CRM 125.156/SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *